segunda-feira

Eu sinto muito medo. Do seu passado, do meu passado. Cada um fugindo de mim. Acontecimentos completamente desconhecidos para mim, relembrados em sua memória.

Cada um com seu carinho, per-passados e pespontilhados com todo o seu sorriso. Esperando para serem revividos. Ah, e como será sua lembrança de nós? Um passado triste, recoberto de brigas, ciúmes, sofrimentos a toa.
Quando eu sei que um ano é pouco, também sei que é muito para lembrar da tristeza.

Lembro da dor que senti por uns seis meses, pura indecisão. Era tão dolorosa que eu não conseguia nem respirar fundo. Durante esse tempo eu chorava, escrevia, tinha pesadelos. Queria berrar, correr, fugir.
Foi o que eu fiz... Fugi.

Depois que voltei, me encontrei num mundo completamente diferente. Eu estava amadurecida, mudada, nada dos meus pensamentos eram oprimidos e nem sequer apagados.
Eu desenho cada parte do meu ser, tentando enxergar as perfeições que ele tem... Mas no caminho lembro desses dias, e de tantos outros que foram horríveis.

Porque eu tive que passar por isto?
Porque não pude ter algo infantil e leviano como você?

Agora tudo que eu tenho é medo! Do carinho, do amor, de tudo que você teve e eu não fui nem possibilitada de ter!
Quero ter tudo de volta. Quero essa chance!

Mas tudo não passa de um rascunho. Nossa vida é um rascunho... Quem me dera fosse uma obra prima!

3 comentários:

tashi; disse...

ao ler este desabafo, ocorreu-me um embaraço. quis te pegar no colo e dizer que vai ficar tudo numa nice, que as lembranças desgostosas passarão e você continuará firme e doce, como sempre.
morro de saudade, mesmo. se precisar de um ombro antigo, amigo e repleto de memórias reconfortantes, é só me chamar.

sundayflowers disse...

rene magritte! (: adorei.

Fernand's disse...

pode ser se vc quiser.




bj meu